Psicóloga

simbolo-psicologiaA atividade profissional de psicóloga tem como princípio básico estudar o âmbito geral do comportamento humano a partir das características de inúmeros processos mentais.

Em outras palavras, é válido afirmar que a ciência que envolve a psicologia é uma tentativa de entender qual a razão que leva algumas pessoas a tomar determinadas atitudes e comportamentos. Esse processo engloba uma série de fatores, tais como:

  • Percepção
    • Sensação
  • Emoção
  • Inteligência
  • Aprendizado

Todos esses aspectos são inerentes a qualquer ser humano. Cabe ao psicólogo fazer o acompanhamento e decidir qual o melhor tratamento a ser seguido, além de transmitir o diagnóstico mais adequado dos seus pacientes por meio de suas atitudes.

Essa relação está intimamente ligada à origem da sua palavra. “Psique” vem de alma, e “logo” é ligada ao conhecimento. Muitas vezes é tomada como uma espécie de filosofia, na mesma linha pregada por Sócrates, Aristóteles e Platão. Eles foram os precursores, porém, hoje os limites da psicologia foram sem expandidos, e esse distanciamento entre a filosofia e a psicologia foi reconhecido no final do século XIX, iniciando assim o conceito de Psicologia Moderna.

Campos de atuações

O campo de atuações de uma psicóloga é muito amplo, pois além de diagnosticar possíveis problemas de comportamento, essa profissional também é responsável por prevenir alguns desses males. A psicóloga pode optar por abrir o seu próprio consultório, trabalhar em hospitais que possuem essa especialidade, em escolas ou instituições de ensino, entre outros. No entanto, para exercer a profissão de forma legal, é necessário ser registrada no Conselho Regional de Psicologia (CRP).

Com compromissos diários cada vez mais sufocantes, a pressão do trabalho, além do crescimento dos grandes centros urbanos, pesquisas comprovam que aumentou a procura por consultas com psicólogas, sendo que o setor público possui uma demanda periódica. Outra área que apresentou um crescimento considerável foi o setor de Esportes, já que é cada vez mais comum prestar atendimento a atletas, sobretudo quando eles são expostos a situações de grande pressão. Além disso, a psicóloga também tem capacidade para prestar consultoria a empresas e atender os setores educacional e acadêmico.

Como tratar distúrbios psicológicos

O estudo profundo da psicologia permite que as profissionais desenvolvam e aplicam técnicas eficientes nas terapias. Com a presença cada vez mais constante de distúrbios emocionais e psicológicos no cotidiano, novos tratamentos são incorporados para amenizar o desconforto dos pacientes. Estes são alguns dos distúrbios mais famosos que demandam a atenção de uma especialista em psicologia.

  1. Síndrome do Hulk: Consiste em ataques de raiva sem nenhum motivo aparente, onde a pessoa perde completamente o seu raciocínio lógico por alguns minutos. Esse problema é também classificado por “Transtorno Explosivo”. Ele deve ter acompanhamento de uma psicóloga para mapear as características do paciente e entender as causas do distúrbio. Além disso, podem ser receitados medicamentos para ajudar a controlar o humor.
  2. Transtorno de Identidade e integridade corporal: Trata-se de uma vontade incontrolável que a pessoa possui de remover algum membro do seu corpo. Mesmo sendo aparentemente saudável, quem sofre com esse problema dificilmente está satisfeito e feliz com seu aspecto corporal. Em alguns casos, o paciente chega a desejar ficar cega. Para casos menos graves, o melhor tratamento é a terapia desenvolvida junto a uma psicóloga, porém há situações em que é necessário o uso de medicamentos que controlam a ansiedade. Esse transtorno não tem cura definitiva, então é necessário acompanhamento constante de uma profissional de psicologia.
  3. Síndrome de “Alice no País das Maravilhas”: Esse distúrbio faz com que a pessoa visualize as partes do seu corpo diferente do que elas são, maiores ou menores, daí vem a origem do nome. Normalmente esse comportamento é seguido por fortes dores de cabeça. O acompanhamento de uma psicóloga é fundamental para que esses sintomas sejam amenizados de forma a não influenciar o cotidiano do paciente.