Psicoterapeuta

Embora sejam requisitadas por um grande número de pacientes, as consultas de psicoterapeuta são freqüentemente confundidas com outra atividade muito particular, a de psicóloga. Apesar de ambas ajudarem a entender comportamentos inerentes ao ser humano, existem algumas diferenças importantes que precisam ser levadas em consideração. Todavia, para entender melhor essas características, é recomendado conhecer mais profundamente essa área específica de estudo.

Áreas de atuação da psicoterapeuta

psicoterapeutaA psicoterapeuta é o responsável por ajudar as pessoas que apresentam determinadas limitações ou que tenham dificuldades em tomar decisões. Nessa esfera se enquadram indivíduos com problemas emocionais, como casais que estão passando por alguma crise no relacionamento, ou pessoas muito sensíveis e irritadas.

Outra área que pode ser acompanhada por uma psicoterapeuta diz respeito aos problemas comportamentais relacionados à timidez excessiva e medo de falar em público.

Além disso, distúrbios cognitivos ligados à ansiedade e pensamentos depressivos também podem ser tratados por uma especialista.

Psicoterapeuta x Psicóloga

A atividade de psicoterapeuta pode ser exercida por uma psicóloga, desde que ela seja especializada na área clínica. A formação em um curso específico de psicoterapia é necessária para o exercício da função. Outra característica é que a psicoterapeuta sempre atua com um atendimento em grupo ou individual, em consultório apropriado. Ou seja, mesmo a profissão podendo ser exercida por um psicólogo, caso esta profissional trabalhe em um setor de RH de uma empresa, por exemplo, ela não pode ser considerada um psicoterapeuta.

Como funciona a psicoterapia

Algumas pessoas acreditam que ao procurar a ajuda de um psicoterapeuta, o sentimento que as aflige irá desaparecer quase que automaticamente. Além disso, existe a crença de que as sessões consistem apenas em momentos mais profundos de desabafo. Porém, não é exatamente assim que funciona.

Apesar de ser preparada para ajudar um grupo ou um indivíduo, a terapia também ajuda a trazer à tona sentimentos e momentos da vida que nem sempre o paciente está disposto a lidar. Quando são bem trabalhados por técnicas pontuais exercidas por uma profissional, esses aspectos podem gerar uma mudança de comportamento importante para entender melhor o momento em que a pessoa está passando.

Para que o tratamento seja satisfatório, é necessário comparecer a uma série de consultas que, usualmente, costumam ser semanais. A frequência é determinada a partir das características de cada pessoa. Vale lembrar que o quadro do paciente evolui naturalmente, ou seja, as mudanças são graduais e dependem também do esforço do paciente em melhorar sua condição de vida.

Casos em que a psicoterapeuta pode ajudar

Existem alguns casos clássicos que podem contar com a intervenção de uma psicoterapeuta profissional. Essas consultas podem ser muito benéficas para o dia a dia de todas as pessoas que se sentem afetadas por seu comportamento pessoal. Veja situações em que é essencial contar com a orientação de uma especialista:

  • Desenvolver habilidades sociais, como fazer novas amizades ou falar em público, por exemplo.
  • Casos de depressão pós-parto.
  • Sensação de depressão durante o dia.
  • Alterações radicais de humor.
  • Indecisão na hora de tomar determinadas decisões, como a escolha da profissão.
  • Problemas na hora de lidar com relacionamentos ou separação.
  • Ciúmes em excesso.
  • Timidez.
  • Superação de medos, como os de avião, pessoas, etc.
  • Problemas em lidar diariamente com pessoas consideradas difíceis, como chefes ou colegas de trabalho muito competitivos.
  • Pensamentos considerados angustiantes.
  • Excesso de distração, chegando, inclusive, a perder compromissos importantes por causa desse problema.